Palmas - TO sábado, 16 de fevereiro de 2019

DPE terá ponto de recolhimento de recicláveis no projeto Coleta Palmas

Parceira

08/02/2019 15h05 - Atualizado em 08/02/2019 15h08
Foto: divulgação

Por meio de uma parceria com a Prefeitura de Palmas, a sede da Instituição na Capital terá uma estação do projeto Coleta Palmas

O “Coleta Palmas”, programa permanente de separação de resíduos sólidos para a reciclagem, terá um ponto na sede da Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) em Palmas. Uma sensibilização para membros e servidores foi realizada nesta sexta-feira, 8 pela engenheira ambiental da Prefeitura de Palmas Rudinéia Williams e pela engenheira ambiental e sanitária Roseanne Veloso de Camargo.

Na ocasião, Rudinéia apresentou os detalhes sobre implementação do projeto Coleta Palmas: “Trabalhamos a sensibilização e convencimento do cidadão sobre a necessidade de se adotar posturas positivas de preservação do meio ambiente e destinação correta dos resíduos sólidos, com a separação do que pode ser reciclado e do que é lixo, efetivamente”, disse Rudinéia.

Palmas conta, atualmente, com 16 estações do projeto. O objetivo é incentivar a coletiva seletiva desde a própria residência do cidadão até o descarte. Por meio da parceria com a DPE-TO e a Prefeitura de Palmas, um contêiner será instalado em breve para ponto de coleta na calçada que fica entre a sede da DPE-TO e o Fórum de Palmas. Além disso, na copa de cada andar e na cantina haverá dois recipientes para o descarte de resíduos sendo um para lixo orgânico e outro para material reciclável.

Diretor regional da DPE-TO em Palmas, o defensor público Leonardo Coelho considera que o programa é de extrema importância, pois incentiva a sustentabilidade e a preservação do meio ambiente. “Estamos engajados nesta iniciativa que envolverá todos os servidores, membros e prestadores de serviço da nossa instituição”, declarou.

Orientações

Para o descarte adequado de recicláveis é necessário seguir algumas orientações básicas, sendo que a principal é que os resíduos são classificados entre orgânicos e não-orgânicos. Destes, existem os contaminados – que não servem para a reciclagem (a exemplo do lixo de banheiro) e os que podem ser reaproveitados e transformados, gerando uma cadeia produtiva de renda e evitando agressão ao meio ambiente. “É importante que a população esteja atenta na hora de realizar o descarte para não misturar o lixo orgânico com o lixo seco, para evitar a perda do material que pode ser reciclado”, orienta Rudinéia.

Os recicláveis se dividem em papel/papelão; plásticos; metal e vidros. Atualmente, em Palmas, a coleta seletiva não trabalha com a reciclagem de vidros. Os containers do Coleta Palmas são identificados para o descarte apenas de papel/papelão, plástico e metal.

Por Cinthia Abreu 

Veja Também