Palmas - TO quarta, 16 de janeiro de 2019

Autoridades e familiares cobram da SSP elucidação da morte do ex-prefeito de Miracema

Sem desfecho

10/01/2019 13h53 - Atualizado em 10/01/2019 13h56
Foto – Divulgação

Os deputados estaduais Stalin Bucar (PR) e o deputado Nilton Franco (MDB) intermediaram reunião entre os familiares, advogado, políticos e amigos do ex-prefeito de Miracema Moisés Costa da Silva, o Moisés da Sercom, na tarde desta quarta-feira, 9, com o secretário da Segurança Pública, Cristiano Barbosa Sampaio, para cobrar agilidade na solução caso. Moisés foi encontrado morto em seu carro no dia 30 de agosto do ano passado.

A reunião foi uma solicitação do deputado Stalin Bucar que tem cobrado constantemente na tribuna uma solução das autoridades policiais. Ao abrir a reunião, o deputado reclamou do sofrimento da família com a falta de respostas que tem gerado muitas especulações sobre o caso, que chocou a sociedade miracemense e teve repercussão estadual e nacional.

 “Este homicídio tem nos deixado muito inseguros, pois não sabemos o que estamos enfrentando. Precisamos dar um retorno à população para mostrar que as forças da Segurança Pública estão atuantes e interessadas em combater a criminalidade no estado,” afirmou.

Além da viúva, Camila Fernandes de Araújo, seis irmãos do ex-prefeito participaram da reunião. Os irmãos questionaram os advogados responsáveis pela investigação o por quê de até o momento ainda não obtiveram nenhum esclarecimento sobre o motivo e autor do crime.

Muito comovida e emocionada, a viúva afirmou que vem sofrendo muito com a falta de informação e foi enfática ao dizer que: “independente de quem seja, quer punição para os envolvidos”. No dia 20 de setembro, um laudo pericial confirmou que ele foi assassinado.

Ao responder os questionamentos, o secretário de Segurança Pública, Cristiano Sampaio, reiterou que os policiais civis que trabalham no caso têm afirmado que não poderiam prestar detalhes sobre a apuração para não atrapalhar e fragilizar as investigações.

“As ações estão em curso, a força-tarefa que foi montada continua trabalhando e caminhamos para o esclarecimento. Um crime que teve características peculiares pela forma que aconteceu, exige da investigação cuidado e eficiência muito maior para a identificação da motivação e autor”, explicou.

O secretário de Segurança Pública prometeu empenho e esforço, no entanto, revelou que já há uma linha de investigação concreta, e, no momento, provas estão sendo reunidas para elucidação do homicídio . Ainda conforme ele, o caso está sendo tratado como prioridade pela SSP.

Para o irmão do ex-prefeito, Fidel da Costa, a reunião foi bastante positiva, pois o secretário os deixou mais confiantes já que a Polícia Civil segue um linha de investigação consolidada. “Acreditamos e estamos esperançosos que uma tragédia como essa seja elucidada e o autor responsabilizado ”, completou.

Além da viúva do ex-prefeito, Camila Fernandes, os seis irmãos de Moisés, os deputados estaduais Stalin Bucar e Nilton Franco, também estavam presentes na reunião o presidente da Câmara de Miracema, Edilson Tavares, o bispo da Diocese, Dom Philip Dickmans, o pastor Marcelo Borges, o coronel Sebastião Márcio e o advogado da família, Flávio Suarte, além de outros amigos do ex-prefeito.

O crime

O ex-prefeito de Miracema do Tocantins, Moisés Costa da Silva (MDB), conhecido como Moisés da Sercom, foi encontrado morto no dia 30 de agosto do ano passado. Moisés estava em Miranorte e dispensou funcionários que o acompanhavam para fazer uma visita ao prefeito Antônio Carlos Martins (MDB). Os funcionários e a escolta ficaram aguardando Moisés Costa em um posto de combustíveis, mas ele não retornou.

O corpo foi localizado na caminhonete dele em uma rodovia que liga Miranorte a Rio dos Bois. A Polícia Militar informou que ele estava dentro da caminhonete e que tinha uma marca de tiro na cabeça.

Veja Também