Palmas - TO quinta, 15 de novembro de 2018

Neris diz que Cinthia Ribeiro deve divulgar o tamanho do rombo deixado por Amastha

Em Palmas

10/07/2018 18h07 - Atualizado em 11/07/2018 14h37
Foto: divulgação

Conforme o vereador Milton Neris (PP) a situação deixada pelo ex-prefeito Carlos Amastha (PSB) é preocupante e foi causada por irresponsabilidade na forma de gerenciar os gastos do Município.

Ao ser questionado sobre a atual situação da Prefeitura, Neris afirma que só no primeiro quadrimestre desse ano o rombo nos cofres públicos foi de R$ 36 milhões. "O ano inicia só depois do carnaval, o que quero dizer com isso? O orçamento para ser gasto no ano corrente só fica disponível no fim de fevereiro ou início de março e mesmo sabendo disso, o ex-prefeito queimou em quatro meses o orçamento de um ano. Ele arrebentou as contas públicas".

O vereador disse que Amastha foi irresponsável com as contas públicas e que o Município tem hoje, débitos do ano anterior. "São débitos que foram empenhados e não foram pagos, ele cancelou empenhos de 2017 para maquiar as contas. Foram feitos contratatos sem empenho e a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) veda tudo isso que ele fez, mas agora eu pergunto: quem vai pagar a conta?" Questionou.

Milton afirma que a Prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB) está com um "abacaxi" nas mãos, pois além de ter que manter os serviços essenciais funcionando com o orçamento de 2018, ainda terá que pagar os contratos firmados pela gestão anterior.

Segundo Milton, as dívidas do Município são muitas. "A Prefeitura deve seis meses de 2017 para a empresa que controla os radares da cidade. Só para empresa que realiza a coleta de lixo a ex-gestão deve mais de R$ 19 milhões. As empresas de locação de máquinas também trabalharam e não receberam", afirma.

Questionado sobre a prestação de contas do final do quadrimestre de 2017 realizada na Câmara que apontou um superávit de R$ 52 milhões, Milton afirma que "o ex-prefeito maquiou o relatório antes de enviar para esta Casa de Leis. Ele fez a famosa "pedalada" para não aparecer o rombo no relatório e só foi descoberto agora porque não tem como você pagar todos os débitos de 2017 sem impactar o orçamento deste ano, não tem como fazer esse milagre", frisou.

O parlamentar afirma que Amastha usou de má-fé para enganar a sociedade palmense, bem como o Legislativo e o Tribunal de Contas do Estado (TCE). “Nós já pedimos para que o TCE separe as contas para que o Amastha responda por elas, até o dia em que saiu no dia 03 de abril deste ano e para que a prefeita responda a partir do momento em que assumiu”, ressaltou”.

"Queremos que todos esses levantamentos de débitos chegue a Câmara porque quem aprova as contas do Executivo somos nós, o TCE na verdade só faz o parecer prévio, nos orienta para dizer como devemos agir, mas quem aprova são os vereadores. Tenho certeza que as contas de 2017 serão reprovadas porque ele (Amastha) agiu com má-fé", disse.

Para Milton, a Prefeita Cinthia precisa abrir as contas do Município e apresentar os relatórios financeiros, bem como todos os contratos empenhados e não pagos e os que não foram empenhados. "Ela (Cinthia) precisa apresentar para a sociedade de Palmas o tamanho do rombo, que não é pequeno, pelos números que eu levantei até agora, o rombo passa de R$ 60 milhões", afirmou.

De acordo com Milton, o ex-prefeito precisa devolver o que é da Capital, "o que foi usado de má-fé, o povo não pode pagar essa conta, ele precisa ser punido. A ex-gestão gastou mais do que deveria e de certa forma queria dividir a conta com o povo quando quis aumentar demais o IPTU", finalizou.


 

Veja Também