Palmas - TO quarta, 17 de outubro de 2018

Especialistas da Saúde de Palmas orientam sobre os cuidados com a dengue

Em Palmas

16/05/2018 10h37 - Atualizado em 16/05/2018 10h46
Foto: Divulgação

Sabemos que a dengue é uma doença viral que se espalha rapidamente no ambiente. Transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti é fundamental evitar o nascimento do mosquito, alerta especialistas da Unidade de Vigilância e Controle de Zoonoses de Palmas. A bióloga Betânia Costa explica que como não existem vacinas que combatam a contaminação é preciso eliminar os lugares que eles escolhem para a reprodução.

Para reforçar os cuidados a equipe da unidade relembra sobre algumas ações que são básicas para o cuidado e prevenção, como não deixar a água parada em qualquer tipo de recipiente. Além das iniciativas dos órgãos públicos é importantíssimo que a população também colabore para interromper o ciclo de transmissão e contaminação. “Para se ter uma ideia, em 30 a 35 dias de vida, um único mosquito pode contaminar até 400 pessoas”, lembra.

Então, a dica é manter recipientes, como caixas d’água, barris, tambores, tanques e cisternas, devidamente fechados. E não deixar água parada em locais como: vidros, potes, pratos e vasos de plantas ou flores, garrafas, latas, pneus, panelas, calhas de telhados, bandejas, bacias, drenos de escoamento, canaletas, blocos de cimento, urnas de cemitério, folhas de plantas, tocos e bambus, buracos de árvores, além de outros locais em que a água da chuva é coletada ou armazenada.

Para melhor entender sobre a doença e como evitá-la segue abaixo algumas perguntas e respostas.

O que é dengue?

A dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. No Brasil, foi identificada pela primeira vez em 1986. Estima-se que 50 milhões de infecções por dengue ocorram anualmente no mundo.

Como a dengue pode ser transmitida?

A principal forma de transmissão é pela picada dos mosquitos Aedes aegypti. Há registros de transmissão vertical (gestante - bebê) e por transfusão de sangue, mas estes casos são muito raros. Existem quatro tipos diferentes de vírus do dengue: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4.

Quais são os sintomas da dengue?
A infecção por dengue pode ser assintomática, leve ou causar doença grave, levando à morte. Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele. A presença de febre + dois destes sintomas já é considerada com suspeita de Dengue e deve procurar atendimento.

Perda de peso, náuseas e vômitos são comuns. Na fase febril inicial da doença pode ser difícil diferenciá-la. A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, sangramento de mucosas, entre outros sintomas.

Ao apresentar os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde.

Qual o tratamento para dengue?

Não existe tratamento específico para dengue. O tratamento é feito para aliviar os sintomas e evitar complicações. Quando aparecerem os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde mais próximo, fazer repouso e ingerir bastante líquido. Importante não tomar medicamentos por conta própria, pois vários medicamentos de uso comum, como anti-inflamatórios ou contendo ácido acetil salicílico (AAS) podem agravar o quadro.

Como prevenir?

A principal forma de prevenção é acabar com o mosquito, mantendo o domicílio sempre limpo e eliminando os possíveis criadouros (recipientes com água parada). Especial atenção deve ser dada às calhas (que não devem estar obstruídas, pois acumulam água e podem virar criadouro de mosquito), caixas d´água (que devem estar sempre bem fechadas), ralos (devem ter tela) e recipientes como garrafas, potes, vasos de plantas e outros que possam acumular água. Outras medidas podem ajudar, embora sejam menos importantes que o controle do ambiente: roupas que minimizem a exposição da pele durante o dia, quando os mosquitos são mais ativos, proporcionam alguma proteção às picadas e podem ser adotadas principalmente durante surtos. Repelentes e inseticidas também podem ser usados, seguindo as instruções do rótulo, mas têm ação limitada, pois perdem rapidamente o efeito e precisam ser reaplicados várias vezes ao dia. Mosquiteiros proporcionam boa proteção para aqueles que dormem durante o dia (por exemplo: bebês, pessoas acamadas e trabalhadores noturnos).

Criadouros

O Aedes aegypti tem como criadouros os mais variados recipientes que possam acumular água parada, domiciliares e peridomiciliares. Os mais comuns são pneus sem uso, latas, garrafas, pratos dos vasos de plantas, caixas d’água descobertas, calhas, piscinas e vasos sanitários sem uso. A fêmea do mosquito pode, também, depositar seus ovos nas paredes internas de bebedouros de animais e em ralos desativados, lajes e em plantas como as bromélias.

O que fazer?

Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;

Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;

Mantenha lixeiras tampadas;

Deixe os tanques utilizados para armazenar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;

Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água.

Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;

Mantenha ralos fechados e desentupidos;

Lave com escova os potes de comida e de água dos animais, no mínimo uma vez por semana;

Retire a água acumulada em lajes;

Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em vasos sanitários pouco usados e mantenha a tampa sempre fechada;

Evite acumular entulho, pois podem se tornar criadouros do mosquito.

Qual a origem do mosquito Aedes aegypti? Por que esse nome?


Quantas pessoas um mosquito é capaz de infectar?

O mosquito fêmea suga sangue para produzir ovos. Se o mosquito da dengue estiver infectivo, poderá transmitir o vírus da dengue neste processo. Em geral, mosquitos sugam uma só pessoa a cada lote de ovos que produzem. Mas ele é capaz de picar mais de uma pessoa para um mesmo lote de ovos que produz. Há relato de que um só mosquito da dengue infectivo transmitiu dengue para cinco pessoas de uma mesma família, no mesmo dia.

Veja Também