Palmas - TO quarta, 17 de outubro de 2018

Após ter candidatura impugnada pelo TRE-TO, Amastha diz que vai recorrer ao TSE

Eleição Suplementar

15/05/2018 19h18 - Atualizado em 15/05/2018 19h25
Foto: Internet
Ex-prefeito de Palmas Carlos Amastha

O Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO) negou no final da tarde desta terça-feira, 15, por 5 votos a 1, a candidatura do ex-prefeito de Palmas Carlos Amastha (PSB), da coligação “A Verdadeira Mudança” para concorrer ao governo do Estado.

As maiorias dos juízes decidiram cumprir a Constituição Federal, na qual exige que para concorrer ao cargo, o candidato teria que desincompatibilizar seis meses antes do pleito. A eleição suplementar está marcada para acontecer no próximo dia 03 de junho e os eleitos devem ficar no mandato tampão até o dia 31 de dezembro.

O único voto a favor do deferimento da candidatura do ex-prefeito de Palmas foi o do juiz Agenor na qual foi relator do processo. Anteriormente, o procurador regional eleitoral do Tocantins, Álvaro Manzano, havia opinado pela improcedência das impugnações.

A impugnação de Amastha foi solicitada pelos candidatos: Márlon Reis (Rede) e pelas coligações “É a Vez dos Tocantinenses”, de Vicentinho Alves (PR), “Reconstruindo o Tocantins”, de Kátia Abreu, e “Governo de Atitude”, de Mauro Carlesse (PHS).

Amastha

Nas redes sociais, o candidato Carlos Amastha afirmou que já previa este resultado e que irá recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e mesmo, continuará fazendo campanha normalmente.

Veja o que amastha postou na sua conta do Twitter: “Vamos correr para ter a manifestação do TSE. Não existe NENHUMA jurisprudência que impeça nossa candidatura. Eleição suplementar, regras sem definir. Sabíamos que iria para Brasília de qualquer forma”.

Apenas um

Na manhã desta terça-feira, 15, o Pleno do TRE-TO deferiu por unanimidade o Registro de Candidatura de Marlon Jacinto Reis, candidato a governador e Edvan de Jesus Silva, vice-governador, pelo partido Rede Sustentabilidade. Até a próxima sexta-feira, 18, o TRE deve julgar todos os registros das demais candidaturas que vão concorrer ao pleito.

 

Veja Também