Palmas - TO quarta, 17 de outubro de 2018

Tocantins fica em quarto lugar no ranking brasileiro de queimadas

Brasil

15/05/2018 08h49 - Atualizado em 15/05/2018 08h53
Foto: Divulgação

Com a participação de representantes de 20 órgãos estaduais e federais, o Comitê Estadual de Combate aos Incêndios Florestais e Controle de Queimadas/2018 esteve reunido nesta segunda-feira, 14, para tratar sobre os principais tópicos: plano de ações; Força-Tarefa; planejamento das atividades para o Dia “D” e as novas parcerias com as entidades da administração pública e privada. O encontro ocorreu na sede da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), em Palmas.

Assim como ocorreu em 2017, para este ano, o objetivo é focar nos municípios prioritários que lideram o ranking de queimadas, no Tocantins, que são: Formoso do Araguaia, Lagoa da Confusão, Lizarda, Novo Acordo, São Félix, Pium e Ponte Alta do Tocantins. O chefe de Estado Maior, tenente-coronel Carlos Eduardo Sousa Farias, informou que a mobilização dos órgãos envolvidos engloba educação ambiental, contratação de brigadistas, campanha institucional de apoio, força-tarefa e uma central de inteligência para mapeamento e controle das áreas queimadas ou com focos de incêndios, por meio do Centro de Monitoramento Ambiental e Manejo do Fogo (Cemaf).

Representando a Agência Tocantinense de Transporte e Obras (Ageto), o engenheiro civil de Faixa de Domínio, Atila de Oliveira, informou que blitze educativas estão previstas nas rodovias estaduais voltadas para a segurança no trânsito. “Porém vamos incluir também a questão das queimadas, pois muitos incêndios iniciam às margens das rodovias e contribuem para o risco de acidentes e são prejudiciais ao meio ambiente”, explicou. Outra ação realizada pela Ageto é a roçagem das margens que concentram a vegetação seca, comum no período de baixa umidade. “Já iniciamos as roçagens, para garantir segurança nas vias estaduais”, afirmou.

O secretário da Semarh, Leonardo Cintra, ressaltou que a reunião com a participação de mais de 20 órgãos tem o objetivo de aumentar a contribuição dos envolvidos de forma técnica e eficaz. “Vamos atuar nas áreas rurais, porém queremos sensibilizar um público maior dentro da sociedade, pois cada um tem papel fundamental para a diminuição do número de queimadas”, explicou. A participação da Semarh inclui também a contratação de 50 brigadistas que, neste ano, serão egressos ou estão em regime aberto. “Vamos trabalhar com a parte social também para oportunizar o reingresso dessas pessoas na sociedade, por meio do trabalho de prevenção ao fogo”, destacou.

Já o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) vai contratar 60 brigadistas para atuarem diretamente nas quatro unidades de conservação do Tocantins: Parque Estadual do Jalapão, Parque Estadual do Cantão, Parque Estadual do Lajeado e no Monumento Natural das Árvores Fossilizadas do Tocantins (Monaf). Este ano, 27 municípios estão na lista para aderir ao Protocolo do Fogo, projeto executado também pelo Naturatins, que convoca os gestores municipais e as comunidades urbanas e rurais, para adesão às ações de prevenção e controle do uso do fogo.

Na esfera federal, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) vai atuar com 295 brigadistas do PreviFogo, nos assentamento rurais, nas terras indígenas e quilombolas e nas unidades de conservação federal. Além disso, o Ibama será parceiro no apoio logístico da força-tarefa estadual.

 Dados

Até o momento, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Tocantins ocupa a 4ª colocação no ranking de queimadas com 488 focos registrados, de janeiro de 2018 até o dia 13 de maio. Em 1º lugar, o Mato Grosso lidera com 2.081 registros de incêndios; em 2º está Roraima com o acumulado de 1.918 focos; e em terceiro, o Pará com um total de 659 registros.

Na reunião, estiverem presentes ainda o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), a Fundação Nacional do Índio (Funai), o Exército Brasileiro, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e da Pecuária (Seagro), o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), a Polícia Ambiental, a Defesa Civil Municipal de Palmas, a Guarda Metropolitana, o Corpo de Bombeiros, o Ministério Público Estadual, o Instituto de Terras do Tocantins (Itertins); a Federação da Agricultura e Pecuária do Tocantins (Faet), entre outros.

Veja Também