Palmas - TO quinta, 23 de novembro de 2017

Confira a coluna PONTO A PONTO do jornal O Coletivo desta semana

13/11/2017 10h41 - Atualizado em 13/11/2017 10h44
Foto: divulgação

Informações falsas

O clima na Câmara de Palmas está cada dia mais pesado. Na sessão da última quarta-feira, 08, vereadores de oposição criticaram a postura política do também vereador Tiago Andrino, que foi a mídia e ao TCE, denunciar que os vereadores palmenses poderiam receber 14º salário este ano.

Repúdio

Filipe Fernandes (PSDC) repudiou a atitude de Andrino e disse que espalhou uma informação mentirosa e maldosa, pois de acordo com Fernandes, os parlamentares nunca receberam 13º ou 14º salários pagos pela Câmara.

Coincidência

Filipe disse ainda que tudo o que acontece de ruim na gestão do grupo político de Andrino, é tido como coincidência e, assim como a máquina do HGP que estava no hospital do Luiz Teixeira. Lembrou também que o vereador teve ajuda de um empresário que tem contrato milionário com a prefeitura para angariar votos da população evangélica e que, portanto não teria moral para criticar o recebido ou não de salário extra.

Desafio

Léo Barbosa (SD) também negou que os vereadores recebam ou que fossem receber 14º salário. Desafiou Andrino a pegar informações do pagamento desse benefício no Portal da Transparência da Câmara e apresentar para a sociedade.

Sínico

Barbosa disse que Tiago tem um comportamento sínico, e diz que durante sua trajetória política, Andrino sempre agiu dessa forma e citou o aparecimento do vereador na mídia defendendo os homossexuais e todas as formas de amar e hoje vive dentro das igrejas evangélicas.

Santa Catarina

Lembrou ainda que Andrino foi preso em Santa Catarina por queimar ônibus e quebrar vidros de carros por causa do aumento da passagem de ônibus.

Sínico

O vereador disse que quando a tarifa aqui em Palmas aumentou R$ 0,50 centavos ele fugiu, não participou das discussões. Leo disse que ele e Júnior Geo colheram assinatura para tentar barrar o aumento na justiça.

Incapaz

Na sessão da última quinta-feira, 09, as criticas a denúncia de Tiago Andrino continuaram dando o que falar. Em seu pronunciamento, Milton Neris (PP) disse que estava vendo na Câmara pessoas (se referindo a Andrino) falando mal dos outros 18 vereadores, querendo ser o bom moço, acusando os demais vereadores de malandros por receber o 14º salário e também alegou nunca ter recebido tal benefício.

Fogo em ônibus

E disparou, “eu nunca botei fogo em ônibus, nunca fui preso e nunca aleguei a justiça que eu era incapaz para não ser preso. Colocou fogo e depois disse que era doido, para a justiça não prender”, relembrando a prisão de Andrino em Santa Catarina.

Comparativo

O vereador Rogério Freitas (PMDB) na última quinta-feira, 09, também criticou a vida política de Thiago Andrino na tribuna. Freitas disse que resolveu fazer um comparativo de quanto o Andrino tinha de patrimônio, quanto ele declarou, na época em que disputou as eleições em Santa Catarina e quanto ele declarou que tem quando disputou as eleições em Palmas.

Em Palmas

De acordo com Rogério na primeira eleição que Tiago disputou na Capital, ele declarou que tinha um milhão e setecentos mil reais de patrimônio.

Lista

Rogério disse ainda que nesta terça-feira, 14, vai apresentar na Câmara de Palmas uma lista com a quantidade de servidores municipais com cargos comissionados que tiveram que doar dinheiro para a campanha de Thiago Andriano.

Abacaxi

Na última quinta-feira, 09, durante sua fala, Thiago Andrino (PSB) afirmou que Amastha é um abacaxi que a velha política terá que descascar, mas pelo andar da carruagem quem irá descascar o prefeito não será a velha política ou os velhos políticos e sim, a justiça.

Feliz

Andrino ressaltou ainda que se sente feliz quando a oposição gasta tempo o atacando, porque aí eles deixam o prefeito trabalhar. Disse também que fica lisonjeado porque se estão criticando tanto é porque ele está fazendo um bom jogo, porque a marcação está cerrada.

Fim da polêmica

Depois de todo o burburinho causada pela notícia de que os vereadores palmenses poderiam receber até 14º salário este ano, o presidente da Câmara, vereador José do Lago Folha Filho (PSD) diz que se reuniu na última quarta-feira, 08, com o conselheiro Alberto Sevilha, titular da 6º relatoria do TCE-TO para discutir a regulamentação de auxílios aprovados na legislatura anterior que estabelece bônus por assiduidade.

Extinção

Na reunião foi discutida a extinção dos auxílios estabelecidos no Decreto Legislativo 03/2016 e a regulamentação do pagamento do 13º salário, com base na decisão recente do Supremo Tribunal Federal (STF) que determina o pagamento do benefício aos agentes políticos, em especial prefeitos, secretários e vereadores, que não feriria o parágrafo 4º do artigo 39 da Constituição Federal, uma vez que estas vantagens são direitos de todos os trabalhadores, inclusive dos agentes políticos.

Pegou mal

Resolvida a questão, ficou a mágoa de todos os vereadores com o posicionamento do Tiago Andrino de tentar jogar o legislativo contra o povo. 

Veja Também