Palmas - TO domingo, 20 de agosto de 2017

Obras do Shopping Céu Aberto orçada em mais de R$ 17 milhões revoltam comerciantes

Na Avenida Tocantins

07/08/2017 11h03 - Atualizado em 07/08/2017 12h10
Foto: divulgação
Comerciantes fazem protesto contra obras do Shopping a Céu Aberto em Taquaralto


Na última quinta-feira, 03, os comerciantes de Taquaralto fizeram protesto na Avenida Tocantins para poder reivindicar revisão de alguns itens do projeto, que está orçado em mais de R$ 17 milhões

Na manhã de quinta-feira, 03, dezenas de comerciantes da Avenida Tocantins fizeram um protesto contra as obras do Shopping a Céu Aberto em Palmas, que está sendo construído em Taquaralto.

Segundo o vereador Milton Neris (PP), que também participou do ato, uma reunião chegou a ser marcada pelo presidente da Câmara José do Lago Folha Filho para quinta-feira, 03, às 8 horas com o subprefeito da região Sul, Adir Gentil., mas o mesmo não compareceu. No entanto, no mesmo período a Prefeitura de Palmas começou a divulgar nas redes sociais um convite de uma reunião com os comerciantes para esta terça-feira, 8, às 19 horas para tratar sobre o mesmo assunto.
O convite foi interpretado por Neris e os comerciantes como uma forma de desmotivar o protesto realizado na quinta-feira, 03. Mesmo com a confusão nas datas da reunião, cerca de 100 pessoas participaram da manifestação contra as obras do Shopping a Céu a Aberto.

Direito de ir e vir

Umas das reclamações dos comerciantes se refere a proibição implantada pela Prefeitura de que caminhões não poderão circular pela Avenida Tocantins. “Temos empresas que utilizam veículos pequenos, mas temos outras que utilizam caminhões pesados, então quando você faz uma intervenção que você fala que vai tirar caminhões da Avenida Tocantins, você está desrespeitando o direito de ir e vir e prejudicando várias atividades que dependem de caminhões para poder entregar suas mercadorias”, frisou Neris.

Sem ouvir

Segundo Neris, a prefeitura de Palmas está fazendo o projeto sem debater e ouvir os comerciantes e população local, e isso não é certo. Conforme o vereador, o projeto é bom, mas existem coisas ruins, coisas que prejudicam a população e por isso, eles precisam debater para que haja melhorias.
Outra reivindicação é de que seja mantido o estacionamento ao longo da Avenida Tocantins, segundo Milton Neris, os comerciantes não se importam que seja regularizado e que seja cobrado um valor para pagamento do estacionamento, desde que ele se estenda por toda a avenida e não apenas em determinados pontos, o que diminui muito o numero de vagas e prejudica o movimento do comércio local.

Sem drenagem

Milton Neris também critica a forma como as obras estão sendo conduzidas, “estão fazendo toda essa intervenção, mas não estão fazendo a drenagem. Estão quase com a primeira etapa concluída e agora que estão falando que vão pensar em como fazer a drenagem, ou seja, vão quebrar tudo de novo. Isso tinha que ter sido pensado porque tem lugar na Avenida Tocantins que quando chove, a água entra para dentro do comercio”.


Estreitamento da pista

Ainda conforme Neris, a prefeitura precisa rever a dimensão das pistas de rolamento pois, na terça-feira, 01, houve um acidente envolvendo um ônibus e um caminhão na Avenida. “O quê que a lei diz, é o tamanho do veículo mais quarenta centímetros de um lado e do outro , esse é o tamanho mínimo de uma pista de rolamento. O veículo é um ônibus? Qual que é o tamanho dele? dois metros e sessenta? Mais quarenta de um lado e do outro, três metros e quarenta tem que ser o tamanho da pista de rolamento, lá tem duas, tem que ser seis metros e oitenta, em toda a sua extensão. Tinha antes e agora modificaram para colocar florzinhas, nós não queremos florzinhas, queremos algo que funcione”.

Bronca

A bronca é que a prefeitura aumentou o canteiro central para instalar faixa de ciclovias e um rego para colocar jardinagem.
Estima-se que há 212 comerciantes na Avenida Tocantins e segundo Neris, 120 assinaram um abaixo assinado contra as obras do Shopping a Céu Aberto, protocolado na justiça recentemente.  

Confira abaixo todas as principais reivindicações dos comerciantes: 

1º Estacionamento ao longo da Avenida Tocantins;

2º Acesso com rotatória ou semáforo em quatro pontos da Avenida no trecho que compreende o início do posto trevo até a praça da igreja católica. (Posto Trevo: lojas Economia: perimetral e praça da igreja);

3º Permissão para circulação de caminhões leves e pesados em todo percurso da avenida, incluindo as paralelas. (Obs.: após a conclusão da obra do anel viário e estudos do impacto do trânsito, deverá a prefeitura editar normas dos veículos pesados);

4º Regulamentar em horário comercial à carga e descarga na avenida sendo, das 7h:00 até às 9h30min.; das 11h30min. até às 14h e a partir das 16h30min.; (segunda á sábado);

5º Redirecionamento do sistema de drenagem da avenida;

6º Manter o padrão do Sistema Nacional de Trânsito e ABNT nas pistas de rolamento da avenida.
 

Veja Também